Como Pregar o Evangelho

O Evangelho do Senhor Jesus Cristo Segundo Escreveu o Apóstolo João.

Como Pregar o Evangelho

Jesus percebeu que os fariseus se deram conta dos batismos que ele e João realizavam (se bem que não era Jesus quem de fato batizavam, mas de fato seus discipulos). Eles perceberam que Jesus estava batizando mais pessoas que João, criando uma rivalidade aos olhos do povo. Jesus, então, deixou a Judeia e voltou para Galileia.

A Beira do Poço

Para chegar lá tinha de passar pela Samaria. Ele caminhou até Sicar, uma aldeia samaritana que divisava com as terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. O poço de Jacó ainda estava lá. Jesus, cansado da viagem, assentou-se perto do poço. Era cerca de meio-dia.

Uma mulher, uma samaritana, veio buscar água. Foi então, que Jesus lhe pediu: “Poderia me dar um pouco de água?”. (Os seus discipulos tinham ído até a cidade comprar comida para o almoço.) A samaritana, surpresa, perguntou: “Como pode um judeu pedir alguma coisa a mim, uma samaritana?. (Na época, os judeus se recusavam a falar com samaritanos.)

Mas Jesus respondeu: “Se você conhecesse a generosidade de Deus e soubesse quem sou eu, pediria água a mim, e eu lhe daria água pura, água da vida”.

A mulher disse: “O senhor não tem um balde para tirar água, e o poço é fundo. Então, de onde vai tirar essa ‘água viva’? Por acaso o senhor tem mais recurso que nosso antepassado Jacó, que cavou o poço e bebeu dele, e também seus filhos e seus rebanhos, e o deixou para nós?”.

Jesus disse: “Quem beber dessa água vai ficar com sede outra vez. Quem beber da água que eu der nunca mais terá sede – nunca! A água que eu ofereço é como um poço artesiano interior, jorrando vida para sempre”.

Como, O Quê e Para Quê, Pregar o Evangelho?

No capítulo 4 do Evangelho de João há três lições, todas relacionadas ao evangelho: “como pregar”, “o que pregar” e “para quê pregar”. A primeira mostra o espírito ou disposição na qual o cristão deve levar as boas novas. A última ensina o objetivo da salvação de uma alma. Entre uma coisa e outra temos o evangelho propriamente dito, que envolve o reconhecimento de pecado e um encontro pessoal com o Salvador. A chave para o “como pregar” está na palavra “necessário”, ou “importa”, do versículo 4 . Ali diz que era “necessário” Jesus passar por Samaria. A outra ocorrência da palavra “necessário” é no versículo 24, e é também a chave para o “para quê pregar”. Lá diz que é “necessário” que aqueles que adoram a Deus o adorem “em espírito e em verdade”. Por que era necessário Jesus passar por Samaria? Não era por ser o caminho mais curto entre a Judeia — que era o centro do Judaísmo — e a Galileia, habitada por gentios.

Uma Versão Pirata

Os historiadores dizem que os judeus preferiam uma rota mais longa passando pela Pereia só para evitarem atravessar a Samaria. Eles odiavam os samaritanos, e nem mesmo conversavam com eles, por estes praticarem uma versão pirata do judaísmo, deturpando a religião dos judeus. Mas era “necessário” Jesus passar por Samaria por causa da mulher samaritana deste capítulo. Ela precisava conhecê-lo, pois salvar pecadores era uma prioridade na agenda do Salvador. É neste espírito ou disposição que o cristão deve pregar. É “necessário” que ele vá ao encontro do pecador perdido, mesmo que para isso precise deixar de lado seus preconceitos e intolerância.

Efeitos Colaterais

A intolerância é um dos efeitos colaterais de quem professa qualquer fé, e no caso do cristianismo temos dois mil anos de história e sangue derramado como prova disso. Não falo aqui da aversão ao pecado, ou às ideias e práticas contrárias à vontade de Deus. Isto deve caracterizar o cristão, pois é condizente com a santidade de Deus. Falo da intolerância e aversão à pessoa do pecador, ao ser humano. Deus abomina o pecado, porém ama o pecador. Se não amasse, como enviaria seu Filho para morrer por injustos? Em Romanos diz que alguém pode até dar a vida por uma pessoa boa, mas Deus demonstra o seu amor no fato de Cristo ter morrido por nós enquanto estávamos na condição de pecadores. Pense no pior bandido e pergunte a si mesmo se teria coragem de dar sua vida por ele, ou de entregar seu filho para morrer por ele. É preciso entrar neste sentimento para compreender até onde chegou o amor de Deus por você. Sem não tiver essa compreensão você corre o risco de ter sua vida dirigida, não pela fé, mas pela intolerância religiosa. Fonte: O Evangelho em 3 Minutos – João | A Mensagem – Bíblia em linguagem contemporanea

Faça Missões, COMENTE no campo abaixo. Compartilhe coisas boas e que edificam, chega de tanta maldade e malícia nas redes sociais.

Jean Costa

Cristão, moro em Macau/RN, tenho 45 anos, cinco lindos filhos, Missionário Virtual, viciado em leitura e apaixonado por internet.

Você pode gostar...

Gostou? Deixe seu comentário!

Você deseja Memorizar a Bíblia Sagrada? Então Clique no Botão ao lado Agora!Clique Aqui e COMECE AGORA!