O Que a Bíblia Fala Sobre o Céu

[adrotate banner=”25″]

O Que a Bíblia Fala Sobre o Céu

Tema do culto de doutrina na Assembleia de Deus no bairro de Gramoré, em Natal / RN, pelo Pr. Kleber Maia.

Os capítulos 4 e 5 apresentam vislumbres da glória de Cristo. Aqui vemos dentro do trono do céu. Deus está no trono coordenando todos os sucessos que João registrará. O mundo não está girando fora de controle; o Deus da criação levará a cabo seus planos à medida que Cristo inicie a batalha final contra as forças do mal. João nos mostra o céu antes de nos mostrar a terra para que não nos assustemos com os acontecimentos futuros.

A voz que João escutou primeiro, que soava como trompetista, era a voz de Cristo (veja-se 1.10, 11).

João diz quatro vezes no livro de Apocalipse: “no Espírito” (1.10; 4.2; 17.3; 21.10). Esta expressão significa que o Espírito Santo lhe dava uma visão, lhe mostrando situações e acontecimentos que ele não poderia ter visto com seus olhos humanos. Toda profecia verdadeira vem de Deus por meio do Espírito Santo (2Pe 1:20-21).

Os quais são estes vinte e quatro anciões? Como foram doze as tribos do Israel no Antigo Testamento e doze os apóstolos no Novo Testamento, os vinte e quatro anciões nesta visão provavelmente representam a todos os redimidos de Deus em todos os tempos (tão antes como depois da morte e ressurreição de Cristo). Simbolizam a todos aqueles, tanto judeus como gentis, que agora formam parte da família de Deus. Os vinte e quatro anciões nos mostram que todos os redimidos do Senhor o estão adorando.

Catalogo

Em Apocalipse, trovões e relâmpagos estão relacionados com acontecimentos importantes no céu. Recordam-nos os trovões e relâmpagos no monte Sinaí quando Deus deu a seu povo suas leis (Exo 19:16). Freqüentemente o Antigo Testamento emprega tais metáforas para evocar o poder e a majestade de Deus (Psa 77:18).

Os “sete espíritos de Deus” é outro nome do Espírito Santo. Veja-se também Zec 4:2-6, onde se comparam os sete abajures com o Espírito.

O vidro era uma raridade na época do Novo Testamento, e vidro claro como o cristal era virtualmente impossível de ser encontrado (veja-se 1Co 13:12). “O mar de vidro” assinala tanto a magnificência como a santidade de Deus.

Assim como se vê o Espírito Santo simbolicamente nos sete abajures acesos, de igual modo os “quatro seres viventes” representam os atributos (as qualidades e o caráter) de Deus. Estes seres não são animais reais. Ao igual aos querubins (a mais alta fila dos anjos), fazem guarda no trono de Deus, guiam a outros em adoração e proclamam a santidade de Deus. Os atributos de Deus simbolizados na semelhança de animais destes quatro seres são majestade e poder (o leão), fidelidade (o bezerro), inteligência (o homem) e soberania (a águia). O Antigo Testamento informa que o profeta Ezequiel viu quatro seres similares em uma de suas visões (Eze 1:5-10).

O tema deste capítulo se resume neste versículo: todos os seres no céu e a terra elogiarão e honrarão a Deus porque é o Criador e o Sustentador de tudo.

[impulsosocial]

Jean Costa

Cristão, moro em Macau/RN, tenho 45 anos, cinco lindos filhos, Missionário Virtual, viciado em leitura e apaixonado por internet.

Você pode gostar...

Conheça Sua Bíblia de Capa a Capa com Comentários em VídeoAssista a 1ª Aula AGORA
%d blogueiros gostam disto: